terça-feira, 8 de setembro de 2015

Tu que abandonas um filho

Tu que abandonas um filho, és merda! És uma merda e espero que ardas no inferno.

Não te faças de vitima... não inventes desculpas... não me digas que é muito difícil... não acredito!
Sabes o que é difícil? Difícil é seres um ser indefeso que só quer o colo da mãe e não o ter... Não mereces, mas o teu colo é divino... o teu colo tem tudo o que um filho precisa...
Ele é puro, ele ama-te... mesmo quando pensas em abandoná-lo, ele ama-te... incondicionalmente. Mesmo quando o deixas a chorar, quando chegas ele ama-te... E ele mostra o quanto te ama... Quando pára um choro incessante só por te ver... Quando sorri mal te aproximas... quando acalma no teu colo.
Difícil é descolar o olhar dele enquanto dorme, difícil é coloca-lo na cama quando sabe tão bem tê-lo no colo, difícil é saber que ele um dia vai voar e deixar de ser teu, porque enquanto é teu, tudo é perfeito.
Não me digas que abandonar um filho é difícil... Não pode... Difícil é lutar, é ficar venha o que vier... é lidar com todas as lombas que a vida nos traz e pegar o touro pelos cornos... Fugir é fácil.... Fugir é cobarde.
Tu que abandonas um filho não mereces nada. Não mereces ouvir a sua voz doce... não mereces que ele te sorria pela manhã...não mereces aquele cheirinho que te faz largar lágrimas de felicidade...Não mereces o amor que o teu filho vai dar a outros...não mereces saber o que milagre da maternidade... Não mereces que um ser cresça dentro de ti... um ser que vais abandonar porque não prestas... não mereces. Nada!
Difícil é viver sem este sorriso, difícil é não ter este calor... difícil é ele adormecer num colo que não o teu... Fugir não é difícil.
Tu não és difícil... és fácil, és merda e nada mais!


(lafamille.centerblog.net)

Sem comentários:

Enviar um comentário