terça-feira, 29 de setembro de 2015

O dia mais temido

Desde que a cria nasceu que temia este dia... Mas ele chegou num ápice...
O dia das vacinas!
Aquele dia em que as mães estão mais nervosas que os filhos, as mães têm mais medo que os filhos, as mães choram mais que os filhos...
Sim, mãe que é mãe tem medo das vacinas dos filhos!
Tem que ser, e é para o bem deles, mas custa muito...
Eu levei uma vacina recentemente e estava cheia de medo, e para dizer a verdade doeu-me, agora imaginar isto no meu bebé que é tão pequenino... Que nervos!
Avisei o Sr. Pai da Criança, teria que vir comigo e teria que ser ele a segurar no mais novo porque eu não ia conseguir... Arrependi-me! Quando ele chorava, só me apetecia ir enchê-lo de beijos e miminhos e não pude porque estava lá o Pai.
Depois ainda o drama das decisões que continuam a nosso cargo... Dar as vacinas fora do plano nacional de saúde, sim ou não?
Sempre achei que as vacinas são um "pau de dois bicos". Por um lado estas servem para evitar doenças, por outro muitas vezes provocam doenças...
Decidimos dar as vacinas fora do plano, ou seja, aos 2 meses de vida, o meu coelhinho levou 4 vacinas seguidinhas...
Já tinha levado duas vacinas apenas minutos depois de nascer, não chorou muito, mas verdade seja dita ele ainda estava meio "abananado".
Desta vez, já não seria bem assim.
Mas o meu filho é um campeão! Na primeira nem chorou. Na segunda e na terceira chorou mas não foi nada demais... (até eu choraria como ele) e não gostou de beber a quarta, mas também não chorou... Saímos da sala e nem 2 minutos depois estava a dormir ao colo da avó.
Durante as vacinas, o Sr. Pai da Criança, segurava-lhe na mão, dava beijinhos e falava com ele... A mãe?!?! Aqui a mãe andava na sala de um lado para o outro feita barata tonta e a fazer um enorme esforço para não chorar.
O Vasco foi um herói. Portou-se bem, aguentou forte e passou depressa. Depois passou o dia todo bem xoxinho, mas nada de ficar rabujento... Dormiu muito, e aqui a mãe passou o dia a olhar para ele a controlar a temperatura e a confirmar se ele estava bem.
Foi um herói, um campeão, um forte! Foi mais forte que a mãe. Talvez seja mais fraco um dia que seja ele o pai...


(portalopovo.com.br)

Sem comentários:

Enviar um comentário