segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Imprópria para consumo


É assim que me sinto... Não que eu seja um consumível tipo sopa de feijão verde ou pasta dos dentes dupla acção, mas é o que melhor descreve como me sinto.
Sabia que a recuperação da gravidez não era coisa para acontecer de um dia para o outro, mas por outro lado não tinha noção que havia tanto para recuperar...
O peso não é a questão. Durante a gravidez aumentei 10Kg, e até agora perdi 14 Kg, pelo que não é uma questão de peso. Ora por onde começar... A barriga, que continua com a risca ao meio e com uma cor assim meio escurecida, já não é uma barriga de grávida mas continua bem saliente e visível; o peito... digamos que está num estado próprio de quem teve um bebé há 2 meses e está ainda a amamentar; durante a gravidez, os meus sinais, aumentaram todos de volume, alguns deles ficaram bem salientes e ainda não tive oportunidade de tratar de removê-los; borbulhas.... na cara melhoraram, mas com a gravidez tive pela primeira vez borbulhas no corpo (não muitas) que eu detesto sendo que algumas ainda cá estão; o cabelo cai aos molhos (ainda que eu possa dar-me ao luxo de perder algum...), e a cor... estou pálida como nunca já que mal vi praia este ano.
Ou seja, sinto-me imprópria para consumo...
Como disse aqui, este fim de semana houve casamento, pelo que aqui a mãe teve que recorrer a um montão de truques... Desde meias com cor, a cintas, soutiens push up, kilos de base, capricho na maquilhagem e um penteado da mãe, a coisa lá se fez. O resultado disfarçava um bocadinho a forma como me senti, mas deixei de me sentir imprópria para consumo e passei a sentir-me estupidamente desconfortável... e com uma cria para cuidar, este estado não combina. Cedo rasguei as meias, pelo que tirei-as, e troquei ainda os saltos altos por uns ténis. Os restantes convidados olhavam de lado para os meus pés... Elas faziam caretas, eles riam-se...
Ou seja, um casamento não é DE TODO, um sitio para um bebé, nem tão pouco para uma recém mãe.
A cria, portou-se de uma forma geral bem. Teve bem disposto e fez as suas sestas, e ainda contámos com a ajuda da tia Cláudia e do tio Gonzalez que ajudavam a ir trocando de colo para não maçar... Houve apenas uma altura em que a coisa se complicou mas acho que foi do calor que o deixou desconfortável, mas rapidamente contornámos a situação. Quando começou o barulho maior, foi hora do bebé ir embora. Para nós foi um casamento curto e stressante, mas teve que ser...Estava muito calor, era muita gente e muita confusão para quem passou os últimos 3 meses em casa sossegada (eu).
O casamento estava lindo. Toda a decoração simples e com bom gosto, a noiva muito feliz, o noivo muito nervoso,  tudo bem organizado, diria mesmo que todo o casamento estava irrepreensível.
Quanto a nós nos divertirmos, fica para a próxima! Ah sim, e a cria não vai... (a menos que já tenha uns 10 anos)




(http://escl79.blogspot.pt/)

2 comentários: