segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Vais dar ao teu filho brinquedos de menina?

É muito fácil apregoar aos 7 cantos do mundo que somos tolerantes e livres de preconceito, mas quando é hora de pôr em prática a conversa muda!

Está na moda. Está na moda sermos compreensivos e mente aberta mas quando nos toca a nós o caso muda de figura.

São muitos os casos que se dizem lidar bem com a tolerância, mas quando esta é necessária no seio da sua família, têm dificuldades em pôr toda essa tolerância em prática. Desculpas! Arranjam-se desculpas!

O meu filho tem a sorte de crescer numa “Família Moderna”! Uma família verdadeiramente livre de preconceitos, desprovida de estereótipos, tolerantes onde de facto o que mais importa é que ele seja feliz!

Sim, a nossa família já foi “posta à prova”, e orgulho-me de dizer que somos bons para caraças!
Assim, cá por casa não sofremos com isto, mas eu como mãe, ainda vou ouvindo uns bitaites.

No ano passado, a prenda de Natal do Vasco foi uma cozinha, tal como falei aqui. Foram vários os comentários e as caras surpreendidas.

Como assim vais-lhe dar uma cozinha? Mas tu não tens um menino?!”- Sim, e então?

Qual seria a lógica de enchê-lo de carros e bolas de futebol, quando na altura o que mais o encantava era uma cozinha?!

Sim, o meu filho adora cozinhas e respectivos acessórios. Adora mexer nos tachos, preparar-nos comidas e servir cafés! Nada disso faz dele diferente.
Sim, ele também adora jogar à bola, e brincar com os carrinhos e pistas de comboios.  Só não vejo porque motivo é que dar-lhe carrinhos é normal mas dar-lhe um conjunto de chá é estranho.

Esta semana no trabalho, falávamos sobre o que vamos dar aos mais novos.
Mencionei que um dos presentes que o Vasco vai receber, é precisamente um conjunto de chá! Um colega meu, fez a cara mais surpreendida de sempre. Aparentemente passei uma linha qualquer que eu não vejo.

Piquei-o mais ainda. Disse que no ano passado tinha oferecido uma cozinha, ao que me foi dito que estou a “ultrapassar os limites”. Ao que parece, dar-lhes coisas de que eles gostam não é aceitável.

Piquei até mais não, porque para mim , nada dessa conversa vale nada. Muito pelo contrário. Enche-me o ego. Deixa-me orgulhosa de saber que na minha casa, os meus filhos terão sempre espaço para ser nada menos do que o que quiserem! Sem preconceitos nem estereótipos.

Por fim o meu colega perguntou:


“Vais dar ao teu filho brinquedos de menina?” – Não meu querido, vou-lhe dar brinquedos de criança! 


1 comentário:

  1. Houve um Natal em que dei aos meus filhos um conjunto de electrodomésticos (frigorífico, máquina de lavar, microondas, máquina de café, etc) que funcionam, são todos em cor de rosa e cinzento. O meu filho tem 10 anos e ainda adora brincar com eles, a miúda nunca ligou. Como estes, todos os brinquedos lhes são oferecidos sem olhar a "directivas sociais".
    São exactamente isso que dizes, brinquedos de criança!

    ResponderEliminar