segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Parem de seduzir as crianças!

É irritante, enervante e estraga-nos o dia/noite/férias demasiadas vezes!

Este ano, nas férias, tal como é habito, nosso e de muitos Portugueses rumámos até ao Algarve!
O destino de praia encanta-me, lá “em baixo” o tempo está sempre melhor e não quis viajar com o coelho tão pequeno.
Armação de Pera foi o destino escolhido. Mais calmo que a típica Albufeira, e menos maniento que a batida Vilamoura. 

Dentro do que procurávamos estava ótimo. Mas….
Há sempre um mas…

Não pude deixar de reparar no exagero que se comete para se seduzir as crianças…

As típicas “barraquinhas” de vendas de “traquitanas” na rua junto ao mar já fazem parte do Algarve eu sei, mas É UM EXAGERO!

Além destas barraquinhas existirem aos milhares, a vender milhões de tralha colorida para que seja bem apelativa aos olhos dos mais novos, há ainda aquelas ”carripanas” de meter a moeda, mais as máquinas de bolas com conteúdos muito estranhos, os brinquedos de praia, as bóias, os crocodilos/golfinhos/flamingos gigantes, as toalhas da patrulha pata, aqueles cães irritantes que ladram (e que ainda não percebi se alguém realmente compra aquilo…)… enfim… um sem fim de tralha completamente desnecessária feita e exposta com o único propósito de seduzir as crianças!

Até eu, adulta e mãe de filhos, chego a pensar que se calhar preciso mesmo duma bandolete com luzes, ou de um flamingo em forma de boia para a praia!
Como não ficar seduzida com tanta coisa…

O problema é que as crianças, são isso mesmo, crianças…
De repente, com tanta coisa na sua frente, eles querem este mundo e o outro! Querem tudo!

Pedem, lamuriam, depois choram, e às tantas estão no chão numa enorme birra porque “Não lhes damos nada!”

O pior disto tudo é que mesmo que uma mãe compre uma qualquer dessas inutilidades “só para não os ouvir”, 100 metros mais à frente, irá aparecer outra coisa absurdamente indispensável para o querer dos pequenos… 

Restam-nos 2 opções: Ou estoiramos uma fortuna em merda (desculpem-me a palavra mas não arranjo melhor descrição); ou eles choram e berram e gritam até que nós desistimos e vamos enfiar-nos em casa, chateados uns com os outros.


Ou seja… Esta estupidez, deste exagero das barracas de vendas literalmente estragam-mos momentos das férias! E a mim irritam-me solenemente. A vocês não?!


3 comentários:

  1. Bem verdade! O melhor mesmo é já irem "educados" de casa, tipo dizer-lhes que não vale a pena pedir, mas penso que esta situação não acontece só nas férias, acontece no dia à dia. Qd vamos a um hipermercado o que tem à beira das caixas, mesmo ao nivel dos olhos e mãozinhas dos mais pequenos? Guloseimas, balões,... Local de espera, entretanto dá-lhes tempo para observar e desejar! Shoppings, feiras, ruas movimentadas na cidade... Temos que ir fazendo um trabalho em casa no sentido de impor limites. Não é uma receita mágica! É algo que trará resultados a longo prazo. Os meus qd vamos às compras ou sair já vão avisados. Se resulta? Tem dias!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, nem sempre é fácil, mas o importante é não desistir..

      Eliminar