terça-feira, 29 de agosto de 2017

Adeus Culpa!

Sinto que ser mãe fez-me crescer… muito!

E foi um processo longo e difícil… Sinto que demorei muitos anos até aqui chegar (quando na verdade só se passaram 2) mas cá cheguei!
Falo da confiança!

Sempre fui bastante confiante! Sempre confiei em mim e senti-me segura daquilo que sou e daquilo que faço.
Claro que erro, como qualquer outra pessoa, mas até nessas alturas sempre confiei que conseguiria resolver tudo. 
(Ainda que isto tenha muito de positivo também tem muito de negativo… Quando não consigo resolver um problema por não depender de mim, vou abaixo mais que o normal… Aquilo que não controlo deixa-me frustrada!)

O mundo da maternidade, toda a gente sabe que é um mundo de inseguranças e de muitos palpites.
Os palpites e conselhos vêm de todos os lados sobrecarregando-nos a confiança já de si abalada. É uma responsabilidade ENORME!

E ainda que os Pais de hoje já partilhem muito da responsabilidade dos filhos, a maior parte continua a recair sobre as mães.
E é por isso que nos sentimos inseguras… E é por nos sentirmos inseguras que os palpites enervam tanto… 

Nunca temos a certeza se estamos a fazer as escolhas certas, e os palpites só nos deixam mais na dúvida! Mas como lá bem no fundo achamos que estamos a fazer bem, esses palpites apenas acabam por apenas irritar e serem recebidos como uma crítica às nossas escolhas.

O que sinto, é que todos os palpites dos quais tanto me queixei foram muito mal recebidos… Vi-os como chatos, como críticas, como parvoíces quando na verdade, correctos ou não, estavam recheados de boas intenções. 
Sim são muitos, mas duvido muito que alguém o diga por mal!

Ao fim de 2 anos nada disso me afecta mais!
Finalmente estou em paz! 

Sinto-me capaz e confiante. Sinto que consigo! Tenho noção que não sou perfeita, mas percebi também que só o facto de tentar o melhor já faz de mim uma excelente mãe! Sim é isso que me sinto. Uma excelente mãe!
Não me entendam mal… não me acho melhor que ninguém, apenas sinto-me confiante!

Acredito em mim, e naquilo de que sou capaz! Acredito nas minhas escolhas e decisões. Sinto-me serena, e segura! E com isso os palpites deixaram de me afectar.

Aqueles que fazem sentido na minha cabeça, cá ficam.Os que acho descabido, simplesmente ignoro, mas não me incomodam. E acho que tudo isto passa pela paz interior que consegui encontrar.


Não foi um percurso fácil. Foi duro. Mas se eu consegui, qualquer uma consegue! Basta confiar! 



Sem comentários:

Enviar um comentário