quinta-feira, 20 de julho de 2017

De repente…

De repente cresceste!

Tanto que me disseram que o tempo passa rápido, que passou mesmo. E de repente, estás um crescido.

Aproveitei cada minuto e cada segundo. Nunca te neguei mimo ou colo, e fiz tudo para estar cada minuto possível contigo, mas mesmo assim, o tempo passou rápido e tu cresceste.

De repente, já não eras um recém-nascido, tão pequenino, tão frágil e tão dependente de mim.

De repente já comias sólidos, e atiravas a comida ao chão, e sujavas tudo à tua volta.

De repente já escolhes o que queres comer, o que gostas e o que não gostas, e não há quem te demova dos teus gostos.

De repente sentaste-te e batias palminhas…

De repente gatinhavas, e eu corria pela casa atrás de ti…

De repente já andas, e corres e exploras o mundo, e deslumbraste com tudo o que vês.

De repente trepas tudo, e cais, e esfolas os joelhos, para de seguida levantares-te, sacudires as mãos e continuares a correr…

De repente disseste mamã, e de repente já dizes um monte de coisas …

De repente expressas-te. És consciente das tuas emoções, que são tantas e tão intensas e expressas o que sentes da forma que sabes.

De repente concentras-te. Sabes o que queres fazer, e sabes concentrar-te na tua tarefa, abstraindo-te de tudo o resto.

De repente folheias um livro, e rabiscas um papel, ou uma parede do teu quarto.

De repente adoras carros, e bolas, e adoras marcar golos, e dizer os sons dos animais.

De repente fazes birras quando não tens o que queres. Gritas e choras, e empurras-nos para demonstrar o teu desagrado.

De repente dás-me um abraço só porque sim, ou empurras-me para que continues a brincar sem que os meus beijos te atrapalhem.

De repente já não és um bebé. De repente o tempo passou e tu cresceste, e por mais que eu queira fazer o tempo parar não posso. E tu vais continuar a crescer, e a aprender, e definir o que és! De repente deixarás de ser o meu bebé pequenino porque de repente és um rapazinho.


E eu estou tão orgulhosa de ti! E eu gosto tanto, mas tanto, de ti, mesmo que de repente… tenhas crescido! 


Sem comentários:

Enviar um comentário