terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Os incêndios não são para esquecer no Inverno!


Não vos quero maçar com o tema, mas a passada sexta-feira foi mesmo um dia especial para mim.

Tal como contei aqui, na passada Sexta-Feira, numa iniciativa da empresa onde trabalho tive o prazer de passar o dia a ajudar a reflorestação do Pinhal de Leiria!

Largamos os computadores, e os saltos altos, calçamos as galochas e pegámos na enchada.

Cobrimo-nos de terra e de cinza, na tentativa de esverdear um local tão cinzento!

A chegada a Leiria é desoladora! O cinzento e preto que impera no cenário, entra-nos na alma quase tanto como o cheiro a queimado que ainda paira no ar!
Quilómetros e quilómetros de matos queimados, destruídos… Naquilo que parece uma tragédia sem fim.

A chegar, ainda nos autocarros que nos levaram lá, foi palpável o arrepio que todos sentimos… Aquele baque de quem vê o que até agora só tinha visto na televisão. É forte!

A quem pretenda visitar o Pinhal de Leiria em breve, recomendo que se preparem a nível emocional, porque é muito mais chocante do que pensei!
Pusemos as mãos ao trabalho. Eu, e certa de 500 colegas, (incluindo diretores e afins, ali somos todos iguais… ) cavámos e plantámos cerca de 24.000 arvores. Essas árvores, serão adultas daqui a 70 anos! Fizemos isto pelos nossos filhos e pelos nossos netos…

Parece muito… mas é tão pouco…. É frustrante pensar que é uma área tão pequena em comparação que com a que é ainda necessário.

Mas “demos o litro” à grande! Esgotámos toda a energia que conseguimos. Trabalhámos em equipa! Saímos de lá completamente esgotados . Trabalhámos horas debaixo do sol quente e em simultâneo vento gelado. A pele cedeu… os lábios (os meus e de muitos) gretaram… Apanhámos escaldões do sol na cara, e constipações do frio nas costas. Fizemos bolhas nos pés e nas mãos. Quando cheguei a casa, tinha cinza e terra em cada centímetro do meu corpo. No dia a seguir, doíam-me músculos que desconhecia ter.

Podem achar pouco… Trabalhamos ali um dia, enquanto há quem trabalhe a vida inteira! Mas a verdade é que somos bons pra caraças! Entregámo-nos, abraçamos a causa, e demos corpo e alma! E por isso estou orgulhosa.
Um dia o meu filho vai poder dizer aos meus netos, que a avó ajudou a replantar o Pinhal de Leiria! E isso... Isso é especial!

Esta fotografia tirei-a no local. Não tem qualquer tipo de tratamento. Parece que foi colocada a preto e branco e deixado apenas o verde os pinheiros no primeiro plano mas não. É mesmo esta a realidade. O Pinhal de Leiria é actualmente uma realidade a preto e branco que nós tentámos esverdear!


Sem comentários:

Enviar um comentário