quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Ser mãe dói?!

Dói, dói muito! Na verdade ser mãe dói ainda antes de o ser…

Dói a cada teste de gravidez que insiste em ficar negativo, quando se quer muito e o que se espera parece nunca chegar.

Dói quando vem o positivo, e cai sobre nos todos os medos e receios do mundo, ao saber que vamos ter um ser da nossa inteira responsabilidade.

Dói quando ouvimos o coração pela primeira vez. Tão rápido, tão forte… quando se torna real e palpável que o melhor do mundo está para chegar.

Dói no parto, não vou mentir. Dói, às vezes mais, as vezes menos. Mas doí, e eles nascem e nós temos que reagir de imediato. Não há espaço para descansar ou recuperar. Começa ali uma nova vida

Dói a cada febre… ah como dói… Dói tanto, o sentimento de impotência. De querer desesperadamente ajudá-los e não conseguir. De querer tomar a dor deles e não poder

Dói a cada dente que cresce, e incomoda, e chateia e os faz chorar.

Dói a casa tosse que insiste a altas horas da noite e em que não há cebola, ou cenoura ou vapores ou truques milagrosos que façam desaparecer.

Dói a cada queda, casa trambolhão, cada arranhão ou nódoa negra que nós tanto tentamos evitar.

Dói a cada virose, cada dor de barriga, ou ida ao hospital…

Dói de cada vez que um amigo o empurra, ou morde, ou bate...

Dói de cada vez que ele fica triste, e a cada beicinho...

Dói a cada primeiro dia de aulas, quase tanto como nos dias seguintes...

Dói a cada primeiro desgosto de amor…

Dói a toda a hora… às vezes até dói por coisas boas, por ser tão bom, puro e verdadeiro.

Ser mãe dói?!  Sim, dói muito! 

E é por doer tanto que nos cabe só a nós esse duro trabalho de ser mãe!

Porque só uma mãe é capaz de tratar a dor, com amor!

(Imagem: psicologiaacessivel.net/)

Sem comentários:

Enviar um comentário