terça-feira, 6 de outubro de 2015

O "click" quando nascem

A maior parte das mulheres fala dum "click" quando os seus bebés nascem. Uma explosão de amor que num segundo acontece em nós.
Eu não senti isso...
Não sei se sou só eu, se sou estranha ou disfuncional, mas comigo não houve nenhum click!
Desde que soube que estava grávida, houve de facto um sentimento em mim... Um sentimento que foi crescendo com a minha barriga. Foi amadurecendo... Queria o bem estar da cria, o melhor para ele, mas não houve nenhum "click" nem quando soube que estava grávida nem em nenhuma ecografia... Foi um sentimento que se foi desenvolvendo aos poucos e sem eu dar por ele.
Quando o Vasco nasceu, talvez pelo parto complicado que tive, não houve nenhum "click". Quando o Vasco nasceu, sem respirar, disseram-me para olhar para o lado, e eu vi-o passar... Vi-o mas não o ouvi! Esse foi o sentimento que tive nesse momento..."Porque é que ele não está a chorar?!", "Porque é que estão a demorar tanto tempo a trazê-lo?!". Preocupação. Estava preocupada e assustada! Nada estava a bater certo!
Ao fim de um tempo (que me pareceu demasiado), trouxeram-no ao pé de mim, já a chorar... Alivio! Sim, foi alivio que eu senti, ele estava bem! Levaram-no e eu só queria que aquela maldita cesariana acabasse! Dizem-me que durou pouco mais de 10 minutos, mas eu podia jurar que tive ali amarrada durante horas!
Quando o trouxeram novamente para o meu braço, já depois da cesariana, fiquei feliz. Feliz porque tudo tinha acabado, mas principalmente porque tudo tinha acabado bem. Mas continuei a não sentir nenhum "click".
Não querendo parecer cruel, a verdade é que não amei mais o meu filho no dia em que ele nasceu... Não, não houve explosões de amor e felicidade como relatam as outras mães.
O amor que sinto pelo meu filho foi e continua a ser algo crescente... Não há nenhuma linha que separe um dia que goste mais dele... todos os dias gosto mais um bocadinho, cresce e dia para dia como ele!
A explosão de amor não aconteceu comigo, porquê não sei... Nem tão pouco isso faz com que goste mais ou menos do meu filho que as outras mães dos seus...
Quando o Vasco nasceu senti muita coisa: Medo, preocupação, alivio, concentração, mas o click não se deu em mim...
Se sou eu que não sou normal, não sei...
Mas que hoje amo o meu filho mais que tudo, disso não há qualquer duvida!


(www.mamanatural.com)

Sem comentários:

Enviar um comentário